PROFESSOR DO EMILIE ENCENA PEÇA DE BERTOLT BRECHT

19/10/2009


O professor de teatro RENE RAMOS integra o elenco que dramatiza a nova montagem de “Na Selva das Cidades”, com direção de Marcelo Marcus Fonseca, trazendo a obra de  Brecht sob a forma de um musical.

Na Selva das Cidades, de Bertolt Brecht

Em cena, 14 atores dão vida à implacável luta pela sobrevivência diante da destruição causada por dois homens que se enfrentam e se destroem sem motivo algum. Os personagens lutam pela posse da alma do outro. O humor cínico, a poesia e a música, originalmente composta por João Urbílio e executada ao vivo, dão o tom a esta montagem.

A direção expõe, em onze cenas variadas, as relações com o dinheiro (fisicamente), sendo ele, praticamente, o protagonista das ações. A encenação – vibrante e furiosa – procura ser fiel à primeira fase do autor, quando se encontra fortemente influenciado por Rimbaud e Verlaine. Na Selva das Cidades faz uma reflexão sobre a destruição que o homem provoca em seu semelhante sem ter a real consciência da razão desta ação; como se correto fosse passar por cima de quem quer que seja para vencer não se sabe bem o quê.

A trilha sonora tem o mesmo tom da encenação, calcada no rock pesado. Urbílio também criou temas épicos, inspirados em “A Floresta do Amazonas”, de Villa-Lobos, e musicou o poema “A Lenda do Soldado Morto”, de Brecht, que o colocou na lista negra de Hitler, interpretada em cena por Wanderley Martins. A atriz e intérprete Cida Moreira empresta sua voz a uma das canções da peça. Segundo Marcelo Fonseca, mesmo durante os diálogos a música invade a ação dramática com o que ele chama de “comentários musicais”, interferências feitos pelos músicos.

Vivendo no isolamento, cada um se encontra numa guerra metafísica por vício e costume e, para ganhar seu “lugar ao sol”, é preciso revidar, antes que haja o ataque. Na Selva das Cidades é o retrato de uma sociedade agressiva, egoísta e intolerante que massacra a delicadeza e compra opiniões em um mundo onde as pessoas estão se destruindo cotidianamente de forma natural com uma leveza banal, sem remorso ou contra vontade.

Em 1969, o Teatro Oficina apresentava sua versão dessa obra dirigida por José Celso Martinez Correa (que participa da montagem do Teatro do Incêndio com voz em off), com cenários de Lina Bo Bardi e trazendo no elenco Renato Borghi, Ítala Nandi e Othon Bastos nos papéis dos protagonistas.

Na Selva das Cidades, terceiro texto de Bertolt Brecht, estreou em 1923, provocando opiniões divergentes dos críticos. Nela dois homens entram em uma luta por uma espécie de “posse da alma”, onde os seres humanos a volta deles são meras peças utilizadas num jogo onde corpos são empilhados metaforicamente. O crítico Herbert Jhering disse na ocasião da estreia: nessa peça “seres humanos sugam uns aos outros como vampiros; nela, as boas ações destroem. E os charcos exsudam luz”.

Carregada de poesia, citações de Rimbaud, o texto mostra um mundo onde pessoas se destroem sem saber por que, pelo simples sabor da luta ou pela necessidade inconsciente dela. Uma peça onde pessoas não conseguem se comunicar. Mais do que no campo político, erguem-se linhas de combate no campo cultural e moral.


FICHA TÉCNICA:

Espetáculo: Na Selva das Cidades
Autor: Bertolt Brecht
Direção: Marcelo Marcus Fonseca
Direção musical e trilha original: João Urbílio
Elenco (atores/músicos): Liz Reis, RENE RAMOS, Wanderley Martins, Marcelo Marcus Fonseca, Zaira Barbosa, Carlos Vieira, João Urbílio, Valdir Zanquini, Nader Ghosn, Maria Paula Uchoa, Sergio Ricardo, Thiago Molfi, Ricardo Mancini e Amanda Meira.
Figurinos: Liz Reis, Fernanda Ruivo e Renan Serrano.
Cenografia: Carlos Vieira e Marcelo Marcus Fonseca
 Iluminação: Renato Lopes
 Fotos: Pya Lima
 Visagismo: Ivon Mendes e João Urbílio
 Assistência de direção: Ricardo Mancini
 Projeto gráfico: Giuliano Henrique de Carvalho
 Produção/realização: Cia. Teatro do Incêndio

SERVIÇO:

   Em cartaz: de 17 a  de outubro a 22 de novembro – sábado, às 21h e domingo, às 20h.
   Local: Rua General Jardim, 182 - Vila Buarque - Próximo ao metrô República  
   Temporada: sábados (21h) e domingos (20h) – Até 22/11/09
   Ingressos: R$ 20,00(¹/2 entrada: R$ 10,00) – Bilheteria: 1h antes das sessões
   Duração: 120 min – Classificação etária: 14 anos – Gênero: Musical


  Fonte: teatrodoincendio.blogspot.com.br 
Fotos: Pya Lima / Divulgação

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


RELACIONADAS

Nenhuma notícia relacionada
X
RECUPERAÇÃO DE SENHA
E-mail:
Preencha o campo acima com seu e-mail de cadastro para receber uma nova senha.
Ok