O diferencial Emilie no intercâmbio para o Canadá

14/04/2015

O diferencial Emilie no intercâmbio para o Canadá
 
Dia três de janeiro foi a data de embarque dos alunos com destino à Victoria, British Columbia, Canadá. Poderia ter sido um intercambio convencional se não existisse o compromisso do Emilie de estar integralmente presente, da entrada no avião até o final dos quarenta e cinco dias previstos no programa.
Na verdade, o acompanhamento se faz desde o início. O primeiro passo é permitir que os estudantes conheçam antecipadamente os costumes e as diferentes culturas que irão encontrar pela frente. Juntamente com seus pais, os jovens participam de encontros preparatórios, proporcionados pelo Colégio e a Bridges Intercâmbio, nos quais tiram dúvidas e obtém esclarecimentos.
A integração aluno - Emilie segue rumo ao Canadá. A ida da coordenação e  professores acompanhantes é um diferencial que traz tranquilidade aos pais e asseguram o sucesso do projeto. O objetivo não é interferir na vivência individual do intercambista, mas obter um olhar atento à sua adaptação tanto na escola quanto na casa da família que o acolhe.
Essa intermediação acontece de diferentes maneiras. Uma visita ao aluno, na semana inicial, traz, em uma conversa particular, sua impressão sobre os novos ambientes. Um bate-papo com a família permite um diagnóstico sobre o grau de integração do estudante com os hábitos da casa. A visita acontece também na escola. A qualquer sinalização de uma necessidade, o programa permite que o profissional do Emilie interfira em algum procedimento. Além disso, “vivendo” na mesma cidade que os alunos, a atenção é próxima e permanente.
Outra vantagem são os encontros promovidos pelo programa. O grupo Emilie se reúne e se diverte em momentos descontraídos que permitem identificar alguma carência. No intercambio, realizado no inicio do ano, os alunos tiveram uma aula de curling, assistiram a um jogo de hockey e puderam aprender a esquiar. Diversão e segurança: uma combinação bem-vinda nesse tipo de experiência.
O resultado não poderia ter sido diferente. Além do indiscutível ganho na fluência da língua inglesa, foi percebido no jovem seu desenvolvimento na socialização,  amplitude na tolerância, um amadurecimento significativo e  maior grau de responsabilidade. Eles foram elogiados pelas famílias quanto à rápida adaptação e ao respeito às diferenças e regras do lar temporário. As escolas fizeram ótimas referências ao alto grau de comprometimento e à postura dos estudantes.
É a certeza de que todos eles acumularam momentos incríveis que ficarão guardados na memória. Um novo momento surge agora. Já foi realizado um encontro de pais e alunos do Grade 8 com Pilar Amato, gerente da América Latina do Programa de Short Term do distrito de Victoria, juntamente com as diretoras da Bridges Intercambio e a coordenação do bilíngue.
Na ocasião, conheceram a proposta para 2016. Foi o primeiro de outros encontros que irão  preparar famílias e alunos para esta grande e valiosa experiência.
 
Silvana Stein, coordenadora da Educação Bilíngue

RELACIONADAS

No dia 04 de março, alunos e pais do Grade 8 tiveram um encontro com Pilar Amato, gerente da América Latina do Programa de Short Term do dis...

Os alunos do Grade 9 já estão no Canadá...

X
RECUPERAÇÃO DE SENHA
E-mail:
Preencha o campo acima com seu e-mail de cadastro para receber uma nova senha.
Ok