MARCHA MUNDIAL PELA PAZ E PELA NÃO-VIOLÊNCIA

08/07/2009

 
O Colégio Emilie de Villeneuve aderiu à Marcha Mundial pela paz e pela não-violência. Mas essa adesão só será efetivada se alunos, pais, professores, funcionários, enfim toda a comunidade educativa do Emilie participar também.
A Marcha integra o calendário da semana da cidadania (de 8 a 11 de setembro).
No dia 10 de setembro, das 8 às 11h, os alunos do 9º ano EF à 3ª série EM participararam da palestra ministrada por Alexandre Sammogini, porta-voz brasileiro da Marcha Mundial pela Paz e pela Não-violência.

Para saber como foi esse encontro clique aqui.


A MARCHA MUNDIAL PELA PAZ E PELA NÃO-VIOLÊNCIA - UMA PROPOSTA HUMANISTA

Alexandre Sammogini*                                                                                                                               

   A Marcha Mundial pela Paz e pela Não-violência foi lançada durante o Simpósio do Centro Mundial de Estudos Humanistas nos Parques de Estudo e Reflexão – Punta de Vacas (Argentina) em 15 de novembro de 2008.
   Esta Marcha pretende criar consciência frente à perigosa situação mundial que atravessamos, marcada pela elevada probabilidade de conflito nuclear, pelo armamentismo e pela violenta ocupação militar de territórios.
   Esta é uma proposta de mobilização social sem precedentes, impulsionada pelo Movimento Humanista através de um de seus organismos, o Mundo sem Guerras.
   Em poucos meses, a Marcha Mundial já suscitou a adesão de milhares de pessoas. Também inspirou uma enorme diversidade de iniciativas em mais de 100 países, configurando um fenômeno humano em veloz crescimento. 

A SITUAÇÃO ATUAL

   Vivemos uma situação crítica em todo o mundo caracterizada pela pobreza de vastas regiões, o confronto entre culturas, a violência e a discriminação que contaminam a vida cotidiana de amplos setores da população. Existem conflitos armados em numerosos pontos, uma profunda crise do sistema financeiro internacional, aos que se soma hoje a crescente ameaça nuclear.
  Não é uma somatória de crises particulares, estamos frente ao fracasso global de um sistema cuja metodologia de ação é a violência e cujo valor central é o dinheiro.

AS PROPOSTAS DA MARCHA MUNDIAL

Para evitar a catástrofe atômica futura, devemos superar a violência hoje, exigindo:

  • o desarmamento nuclear em nível mundial;
  • o retiro imediato das tropas invasoras dos territórios ocupados;
  •  a redução progressiva e proporcional do armamento convencional;
  • a assinatura de tratados de não agressão entre países e
  • a renuncia dos governos a utilizar as guerras como meio para resolver conflitos.

   Urge criar consciência da Paz e do desarmamento. É necessário despertar a consciência da Não-violência que nos permita rejeitar não somente a violência física, mas também toda forma de violência (econômica, racial, psicológica, religiosa, sexual, etc.). Esta nova sensibilidade poderá se instalar e comover as estruturas sociais, abrindo o caminho para a futura Nação Humana Universal.
   Reclamamos nosso direito a viver em paz e liberdade. Não se vive em liberdade quando se vive ameaçado. 
   A Marcha Mundial é um chamado a todas as pessoas para somarem seu esforço e tomar em suas mãos a responsabilidade de mudar nosso mundo.

A MARCHA EM AÇÃO

  A Marcha Mundial pela Paz e pela Não-violência já está inspirando variadas iniciativas e atividades que haverão de se multiplicar nos meses próximos. Uma delas será o percurso simbólico de uma equipe que marchará através de 100 países. Começará em 2 de outubro (Dia internacional da não-violência) em Wellington, Nova Zelândia, e culminará em 2 de janeiro de 2010 ao pé do monte Aconcagua, Punta de Vacas, Argentina.
  Durante esse tempo todo, em centenas de cidades serão realizadas marchas, festivais, fóruns, conferências e outros eventos para criar consciência da urgência da paz e da não-violência. No mundo todo, as campanhas de adesão à Marcha multiplicarão este sinal além do agora imaginável.
  Pela primeira vez na história um evento desta magnitude se põe em marcha pela iniciativa das pessoas.
  A verdadeira força desta Marcha nasce do ato simples de quem, por consciência, adere a uma causa digna e a compartilha com outros.

*Alexandre Sammogini é porta-voz nacional da Marcha Mundial pela Paz e a Não Violência
Tel.(011) 4106 2050 / Cel.(011) 9604 9629 e-mail editor!pressenza.com

Sites oficiais:

www.theworldmarch.org
www.marchamundial.org.br
www.pressenza.com
www.theworldmarch.org 

 


 


RELACIONADAS

Nenhuma notícia relacionada
X
RECUPERAÇÃO DE SENHA
E-mail:
Preencha o campo acima com seu e-mail de cadastro para receber uma nova senha.
Ok