Dia do Biólogo

24/08/2010


 

Lógica (e apaixonadamente) pela vida

 

Um biólogo nunca é apenas um profissional formado em Ciências Biológicas. Por trás deste, há um primata bípede da família Hominidae, pertencente ao gênero Homo e taxonomicamente denominado Homo sapiens, homem sábio que, no alto de sua capacidade abstrativa complexa - garantida por um telencéfalo altamente desenvolvido -, é hepaticamente apaixonado por sua profissão.

Certamente um desses já passou ou há de passar pela vida, deixando sua marca histórica: seja como professor (e, portanto, com todos os termos difíceis que dele provêm); amigo (que sempre vai tentar explicar algo da maneira mais complexa possível) ou na forma de algum ecologista maluco noticiado pela televisão em horário nobre por estar pendurado ou amarrado em monumentos públicos em prol de uma causa ambiental, até então, desconhecida.

A profissão surge, para o biólogo, muito cedo, o que talvez explique sua paixão. A criança, cuja curiosidade aguçada não é sobrepujada frente ao desconhecido, mas que questiona e, estimulada, experimenta inocentemente a fim de comprovar uma hipótese, e vai intuindo que tem, nas mãos, a maior das ferramentas para crescer e investigar, no mundo, as respostas para as mais complexas questões da vida.

O estudo da Biologia, como o nome em grego sugere, envolve desde organismos em escala molecular e subcelular até interações populacionais e suas relações físico-químicas ao longo do tempo e espaço.

Ainda que o nome tenha sido primeiramente aparecido em 1766 no título do volume 3 da obra de Michael Christoph Hanov - Philosophiae naturalis sive physicae dogmaticae: Geologia, biologia, phytologia generalis et dendrologia – , a Biologia surgiu, de fato e como estudo, no século XIX, com Gottfried Reinhold Treviranus, autor deBiologie oder Philosophie der lebenden Natur e Jean-Baptiste Lamarck, que escreveu Hydrogéologie;  ambas publicações datadas de 1802.

A faculdade de Ciências Biológicas, atualmente, divide a Biologia em quatro grandes grupamentos, cada um com suas áreas específicas. O primeiro desses toma como princípio de estudo todas as estruturas básicas dos sistemas vivos, utilizando-se, de disciplinas como a Biologia Molecular e Celular, Genética, Bioquímica e Biofísica. O segundo grande grupamento, por sua vez, abrange o funcionamento dessas estruturas básicas na Histologia e Fisiologia. No quarto grupamento, as disciplinas dão conta dos organismos e seus ciclos de vida, estudados a fundo pelas Anatomias, Botânicas, Zoologias, Bacteriologia, Micologia, Virologia, Parasitologia e Imunologia. O quarto grupamento é, talvez, um dos mais presentes na formação de um biólogo, pois abrange as disciplinas que tratam das interações entre todos os grupos citados. São disciplinas como a Sistemática, Biologia Evolutiva e da Conservação, Ecologias e Etologia que enlaçam o conhecimento. Há, também, um quinto grupamento que envolve as disciplinas transversais necessárias à Licenciatura, como a Bioética, Psicologia da Educação e Didática.                                                                                           Fabio Leandro Santos e Marcelo Menuzzi

No Brasil, o profissional formado (e habilitado no Conselho Regional de Biologia) tem um amplo campo de atuação no mercado de trabalho, cujas áreas e subáreas legais estão definidas na Resolução CFBio Nº 10, de 05 de julho de 2003. Pode optar, entre muitas, pela laboratorial de pesquisa ou de rotina - como os laboratórios de biologia clínica e didáticos -, pesquisa em campo, Educação (desde que habilitado também com a Licenciatura), construção civil, Organizações não-governamentais, Vigilância Sanitária e órgãos públicos (ou privados) ligados à área da Saúde, Bioinformática, Biotecnologia, Oceanografia, Parasitologia, Engenharia Genética, Biologia Forense, Ecoturismo e, até mesmo, pesquisa espacial.

Muito além de uma pessoa que, ao jurar pela fé e pela honra, e, de acordo com os princípios éticos, exerce as atividades profissionais com honestidade, em defesa da vida, estimulando o desenvolvimento científico, tecnológico e humanístico com justiça e paz*, o biólogo é um profissional que busca respostas para os desafios de um mundo mais sustentável frente à necessidade caótica de manter-se vivo e em constante evolução, tornando-o e tornando-se lar tolerante a todas as formas de vida que o habitam.                                                                

      

Habitam, crescendo biologicamente mais envolvido, logicamente... mais vivo.

(*adaptado do Juramento do Biólogo)

 

Marcelo Menuzzi

Biólogo, pós-graduado em Planejamento, Gestão e Educação Ambiental pela Universidade de Santo Amaro.

 


RELACIONADAS

Nenhuma notícia relacionada
X
RECUPERAÇÃO DE SENHA
E-mail:
Preencha o campo acima com seu e-mail de cadastro para receber uma nova senha.
Ok