Bilíngue

22/03/2010

 

 
 
 
05.12.2014
 

 Inglês e solidariedade+7

Movida pela solidariedade, Isabel de Paula, realizou uma ação muito especial. No início deste ano, a professora da Educação Bilíngue sentiu o desejo de dar aulas de inglês para as crianças da Obra Social Coração Imaculado de Maria – a OSCIM.

Para por em prática esse projeto, ela conversou com sua coordenadora, Silvana Stein, que, por sua vez viu a possibilidade de expandi-lo envolvendo alunos a partir 6º ano do bilíngue. Feito o convite, algumas alunas se interessaram e, mediadas pela coordenadora da Pastoral, Sonia de Itoz, entraram em contato com a coordenação da OSCIM.

Chegada a hora de por a mão na massa, acompanhadas pela professora Isabel, as meninas prepararam as aulas, escolheram os materiais e, divididas em grupos, lecionaram para a as crianças com idade entre seis e 12 anos.

A docente conta que “elas criaram caderninhos para seus alunos e têm a preocupação de preparar a aula e retomar o conteúdo que precisa ser revisto. Além disso, fazem análise do perfil do aluno para observar quem tem mais dificuldade e onde.”. “Como foi o nosso primeiro ano de trabalho solidário, começamos do básico, com cores e números, utilizando cartões e diferentes materiais durante as aulas.”, disse Bruna Mauro, do 6º ano. A aluna Aline Nery, também do 6º ano, complementa: “E para quem pergunta ‘Como crianças de apenas 11 anos conseguiram fazer isso em tão pouco tempo?’, a resposta é: Nós tivemos de nos dedicar muito e nosso envolvimento foi tanto com o trabalho que conseguimos.”

Elas também contam com o auxílio da coordenação e das professoras da OSCIM que as monitoram e dão dicas na análise dos perfis dos alunos, e seguem conquistando mais autonomia.

 

30.06.2014


 A descoberta da energia

 

Definir energia a fim de compreendê-la não é uma tarefa fácil, todavia é muito instigante. Que o digam os alunos do grade 8! Como ela é gerada? De que é feita? O que é energia limpa? Essas perguntas e alguns outros conceitos surgiram e foram explorados nas aulas de Ciências.
Ao longo do segundo bimestre, os jovens bilíngues foram conhecendo as diversas formas de gerar energia a partir de capitais naturais renováveis e não renováveis, discutindo problemáticas do cotidiano mundial e trazendo ideias como possíveis soluções.
Como essas sugestões não podem ficar apenas no plano da imaginação e no papel, o professor Marcelo Menuzzi convidou os alunos a criarem propostas para geração de energia, partindo dos conceitos construídos em conjunto em sala de aula.
A partir dos conteúdos previamente discutidos, cada grupo debruçou-se sobre o tema e pesquisou com afinco experiências científicas que apresentavam alternativas para a geração de energia. Por fim, elaborou um pequeno projeto que foi posto em prática no laboratório.
A investigação do processo de geração de energia traz à luz a discussão mundial acerca do futuro do Planeta. Será que estamos realmente fazendo tudo que está às nossas mãos para reduzir e reciclar capitais naturais na geração de energia ou será que é hora de repensar algumas práticas cotidianas que fazem a diferença em escala global? 
De posse de materiais recicláveis, investigaram em microescala aquelas que poderiam ser soluções para o problema da utilização de capitais naturais não-renováveis, identificando as dificuldades e a elas oferecendo alternativas.
Como parte do processo, desenvolveram um relatório descrevendo o que não funcionou prontamente e apontando medidas para solucionar o problema. Os alunos também avaliaram os experimentos de seus colegas e sugeriram mudanças que os auxiliariam a ter melhores resultados, como parte de um processo criativo-investigativo que valoriza as contribuições individuais em prol de uma ciência transparente.

 


Veja mais fotos, clicando aqui.

 

04.06.2014

A FIELD TRIP TO “SABOR DA FAZENDA”

A field trip is a great way to learn more about the environment around us. At “Sabor da Fazenda” Preschool III had opportunities to explore plants and their needs to grow, observe small insects (pill bugs, centipedes, worms, etc) and understand the importance of composting for our lives.

The students also practiced what they’ve learned about the 3Rs (Reuse, Reduce and Recycle) going on a trash hunt with their teachers and friends.

 

 

ESTUDO DE MEIO AO ‘SABOR DA FAZENDA’

O estudo de meio é uma ótima oportunidade para as crianças aprenderem mais sobre o meio ambiente. No ‘Sabor da Fazenda’ o Preschool III teve chance de explorar plantas e suas necessidades para crescerem, observar pequenos insetos (Tatu-bola, centopeias, minhocas, etc) e entender a importância da composteira para nossas vidas.

Os alunos também praticaram o que têm aprendido em sala sobre os 3Rs (Reutilizar, Reduzir e Reciclar) indo à uma Caça ao Lixo com as professoras e colegas.

 

 

Clique aquie e veja as fotos.


30.05.2014

A figura do boi na cultura de Norte a Sul do Brasil

 

Os cortejos de dançadores e instrumentistas, chamados também de congadas, são festas da cultura brasileira, cuja principal característica é a presença de música, dança e representação teatral. A maioria possui uma origem religiosa, de louvação e agradecimento ao Divino, e ocorre em quase todo território brasileiro. As congadas chamadas de “folguedos”, por exemplo, acontecem em torno da figura de um Boi, onde o dançante se apresenta com passos que lembram o andar do Boi.


Conforme a região do Brasil o Boi tem uma denominação. Dentre as muitas temos: Bumba-meu-boi no Maranhão, Rio Grande do Norte, Alagoas e Piauí; Boi-bumbá no Amazonas e Pará; Boi-de-reis no Ceará e Espírito Santo; Boi-de-mamão no Paraná e Santa Catarina. Enfim, a denominação do Boi é o menos relevante. De Norte a Sul do Brasil encontramos festejos alegres, contagiantes e que cumprem seu papel, de fazer as pessoas se divertir, brincar e sorrir.


É assim na Região Sul do Brasil. O auto do boi está presente em Santa Catarina e no Paraná, onde é conhecido como Boi-de-mamão. Há também o boi Mandicuera que fica na Ilha dos Valadares em Paranaguá, dentre muitos outros
.


No Maranhão, a Festa do Bumba Meu Boi é o carro-chefe da cultura local e comemorada no carnaval. Hoje são centenas de grupos de Bumba Meu Boi no Maranhão, chamados de sotaques. Cada um tem seu estilo, cores, influências e instrumentos. Os principais sotaques são a Matraca, a Zabumba, a Orquestra, a Baixada e a Costa de Mão. O Bumba Meu Boi tem uma face religiosa já que a festa é celebrada, em data próxima ao dia de São João Batista, como uma forma de pagar promessas.


No Amazonas o Boi Garantido também surgiu de uma promessa. Lindolfo Monteverde, quando servia o exército adoeceu, ficando entre a vida e a morte. Fez uma promessa a São João Batista dizendo que se escapasse da morte, dançaria até o fim de sua vida pela cidade de Parintins com seu boi no dia do santo. Há também os seguidores do Boi Galante que participa da famosa festa embalada pelas Toadas de boi em ritmo mais acelerado.


Enfim, em todos os cantos do Brasil temos a cultura da festa do Boi, e cada uma possui toadas, personagens e narrações diferentes. Essa é a grande riqueza do “Boi” do Brasil.

 

06.05.2014
 

As homenagens às mães já começaram. As crianças se apresentaram e entregaram presentes, tudo feito com muito carinho, dedicação e imenso amor.

Acompanhem as postagem durante a semana...

FELIZ DIA DAS MÃES


Preschool III

 




Clique aqui para ver mais fotos. 

 


RELACIONADAS

Nenhuma notícia relacionada
X
RECUPERAÇÃO DE SENHA
E-mail:
Preencha o campo acima com seu e-mail de cadastro para receber uma nova senha.
Ok